sexta-feira, 28 de maio de 2010

video




Criadores : Bruna Maria , Ana Karoline , Monaliza de Oliveira .
Música : Oasis - Don't Look Back Angel
Origem das Fotos - Não Digo :)

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Violência contra idosos.


Bom agora vamos falar de outro tipo de violência que pra mim é a mais covarde de todas,contra os velhinhos :) ' (idosos).De 10 idosos quatro já sofreram algum tipo de agressão,o trauma de uma pessoa de idade que levou uma surra (espancado) fica para sempre,depois de agredido o idoso fica calado,com medo de tudo e de todos.
A maioria das pessoas que agridem um senhor ou senhora de idade são babás,as babás costuman bater no idoso quando eles derramam ou sujam alguma coisa.Mas,graças a Deus qualquer tipo de agressão contra uma pessoa incapacitada de se defender é crime e dá anos e anos de prisão.
As babás depois que batem nos idosos costumam ameaçar se eles contar para algum parente que sofreu a agreção mas,as babás(as que batem,não todas)são tão SEM-VERGONHA que mesmo o idoso não ter falado continua a fazer torturas fisicas e psicologicas contra ele.
TORTURA FÍSICA: Quando o agressor bate.
TORTURA PSICOLOGICA: Quando o agressor chama o idoso de velho burro,idiota e etc.

Violência contra crianças e adolescentes.


Bom,vamos falar de outro tipo de violencia que pode ser até pior do que a física,porque passa a ser psicologica.
Crianças que são abusadas recentemente ficam com comportamento agressivo e choram sem motivo,porque a imagem do agressor ou agressora fica fixada na mente da criança ou adolecente.
DICAS DE COMO PREVENIR O ABUSO SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE
1. Dizer às crianças que "se alguém tentar tocar-lhes o corpo e fazer coisas que a façam sentir desconfortável, afaste-se da pessoa e conte em seguida o que aconteceu."
2. Ensinar às crianças que o respeito aos maiores não quer dizer que têm que obedecer cegamente aos adultos e às figuras de autoridade. Por exemplo, dizer que não têm que fazer tudo o que os professores, médicos ou outros cuidadores mandarem fazer, enfatizando a rejeição daquilo que não as façam sentir-se bem.
3. Ensinar a criança a não aceitar dinheiro ou favores de estranhos.
4. Advertir as crianças para nunca aceitarem convites de quem não conhecem.
5. A atenta supervisão da criança é a melhor proteção contra o abuso sexual pois, muito possivelmente, ela não separa as situações de perigo à sua segurança sexual.
6. Na grande maioria dos casos os agressores são pessoas conhecem bem a criança e a família, podem ser pessoas às quais as crianças foram confiadas.
7. Embora seja difícil proteger as crianças do abuso sexual de membros da família ou amigos íntimos, a vigilância das muitas situações potencialmente perigosas é uma atitude fundamental.
8. Estar sempre ciente de onde está a criança e o que está fazendo.
9. Pedir a outros adultos responsáveis que ajudem a vigiar as crianças quando os pais não puderem cuidar disso intensivamente.
10. Se não for possível uma supervisão intensiva de adultos, pedir às crianças que fiquem o maior tempo possível junto de outras crianças, explicando as vantagens do companheirismo.
11. Conhecer os amigos das crianças, especialmente aqueles que são mais velhos que a criança.
12. Ensinar a criança a zelar de sua própria segurança.
13. Orientar sempre as crianças sobre opções do que fazer caso percebam más intenções de pessoas pouco conhecidas ou mesmo íntimas.
14. Orientar sempre as crianças para buscarem ajuda com outro adulto quando se sentirem incomodadas.
15. Explicar as opções de chamar atenção sem se envergonhar, gritar e correr em situações de perigo.
16. Orientar as crianças que elas não devem estar sempre de acordo com iniciativas para manter contacto físico estreito e desconfortável, mesmo que sejam por parte de parentes próximos e amigos.Valorizar positivamente as partes íntimas do corpo da criança, de forma que o contacto nessas partes chame sua atenção para o fato de algo incomum e estranho estar acontecendo.
"Todo ato ou omissão praticado por pais, parentes ou responsáveis, contracrianças e/ou adolescentes que sendo capaz de causar à vítima dor ou dano denatureza física,sexual e/ou psicológica implica, de um lado, numatransgressão do poder/dever de proteção do adulto e, de outro, numa coisificaçãoda infância, isto é, numa negação dodireito que crianças e adolescentes têmde ser tratados como sujeitos e pessoas em condição peculiar dedesenvolvimento".AZEVEDO, M.A. ; GUERRA, V.N.A. (2000).

Violência contra crianças


bom,vamos agora falar sobre um assunto tão polêmico quanto a violência contra a mulher, " violência contra crianças ".


Todos os pais acham que dar um tapinha numa criança não faz mal a ninguem,pelo contrário a criança fica com tanto medo de fazer travessuras que deixa de ser criança e perde o respeito pelos pais , e ficam com medo.
As vezes os pais abusam tanto do poder na criança que deixam de ser pais e viram ditadores,"se não andar na linha leva murro."
Pois este mal deve ser combatido desde já ! Em vez de bater na criança procure conversar,aí sim a criança deixa de fazer aquilo de novo.